Confira as certificações em Scrum mais valiosas do mercado

Certificações em Scrum & Agile: Qual é a sacada?

Certificações em Scrum & Agile: Qual é a sacada?

Neste post, o professor Frederico Aranha fala um pouco mais das certificações em Scrum & Agile disponíveis no mercado e oferece sua perspectiva sobre cada uma delas

Um profissional que admiro muito e escreveu um artigo sobre este mesmo tema há algum tempo é o Vitor Massari. Você pode conferir o que ele tem a dizer sobre as certificações em Scrum & Agile clicando aqui.

Desde o fim dos anos 80 até o surgimento de um “manifesto ágil”, o mercado viu a ascensão das ditas “metodologias ágeis” de desenvolvimento de software. Elas, de acordo com os principais nomes sobre o tema, são a antítese do gerenciamento tradicional de desenvolvimento de produtos. Ágil é ser iterativo incremental, adaptativo, entregar valor em pequenas porções e em mais vezes e com mais contato com o cliente do que simplesmente planejar tudo e depois executar tudo, em fases distintas e longe dos verdadeiros interessados pelo produto. Ser ágil garante mais valor para todos e é uma forma inteligente de se lidar com incertezas.
No guarda-chuva do paradigma ágil, existem várias práticas, frameworks e metodologias. O mais famoso é o Scrum – um conjunto de regras que visa estabelecer as condições para construção de produtos complexos. Scrum, de acordo com seus criadores, é um framework que pode ser empregado em qualquer indústria para produzir qualquer tipo de produto. Nós, do Site Campus, concordamos com esta visão.

Existem metodologias ágeis que, diferente do Scrum, são apenas para desenvolvimento de software, como Extreme Programming, Test Driven Development e Feature Driven Development. Para conhecer mais sobre estas, confira um paper bem interessante clicando aqui. É importante conhecê-las, porque caem em um grande número de provas de certificação em Agile e até mesmo em Scrum.

Empresas, Organizações & Certificações Mais Conhecidas

Para oferecer uma certificação, você precisa contar com uma empresa certificadora ou uma organização certificadora. Existem várias, sendo as mais famosas no mercado ágil as seguintes:

 

Scrum Alliance

Fundada pelos criadores do Scrum e atualmente administrada por Manny Gonzales, ela é uma organização sem fins lucrativos e que oferece certificações e treinamentos, sendo a mais conhecida a certificação CSMCertified Scrum Master. Os “fins lucrativos” foram transferidos para outras organizações, criadas também pelos fundadores da Scrum Alliance – como a Scrum Inc., por exemplo.

Volta as Aulas Site Campus

Scrum ORG

Depois de uma grande dessatisfação, Ken Schwaber, um dos inventores do Scrum, criou a Scrum ORG – também sem fins lucrativos – em 2009. Oferecem certificações e treinamentos por meio de parceiros, sendo a certificação mais conhecida a PSMProfessional Scrum Master.

PMI

Lançada em agosto de 2011 pelo PMI, sua nova certificação em ágil, PMI-ACP (Agile Certified Practitioner), é uma tentativa do maior instituto de gerenciamento de projetos do mundo de acompanhar as mudanças no mercado de gerenciamento de projetos. O PMI tem mais de 5 certificações em gerenciamento de projetos e ainda outros temas e opera desde os anos 60 como principal fonte de conhecimentos em gerenciamento de projetos.

SCRUMStudy

Entrou no mercado em 2013 com o SBOK, Scrum Body of Knowledge, um guia em conhecimento em Scrum que rivaliza com o guia publicado pelos autores originais do Scrum – o que vou explorar mais adiante. Oferece uma formação completa e certificações para todos os papéis mais relevantes no Scrum, sendo as principais a Scrum Master Certified (SMC) e Scrum Product Owner Certified (SPOC).

Polêmicas & Mais Polêmicas

Aviso, confira o artigo do Vitor Massari no Profissionais TI para mais detalhes sobre as certificações. 

Scrum Alliance

Seu principal e mais vendido treinamento presencial é o CSM, para certificação Certified Scrum Master. Até pouco tempo, era obrigatório o treinamento presencial e era, também, o suficiente para ser certificado como CSM após uma prova aplicada pelo professor onde ninguém repetia, ou 99.99% das pessoas eram aprovadas. Desnecessário dizer que a certificação, principalmente no exterior, é conhecida como uma certificação barata e sem muito valor. Não barata pelo preço, mas pela facilidade em se obter, porque não é barato um treinamento CSM! O exame também não tem qualquer acompanhamento online nem utiliza um software para monitorar sua atividade, ou seja, o candidato pode colar se quiser – o que é antiético, obviamente.

Scrum ORG

Mais valorizada que a certificação CSM, a PSM-I é um exame mais difícil e que exige que o candidato acerte 85% de 80 questões num exame que não tem acompanhamento online e custa 150 dólares. Pela comunidade de desenvolvedores tem um maior reconhecimento. Assim como a CSM, aborda Scrum e seus rituais, regras e valores. Não é uma certificação em AGILE, é em Scrum.

PMI

A certificação PMI-ACP é uma combinação de diversas práticas em metodologias ágeis consolidadas no mercado e que exige do candidato conhecimento prático. As perguntas são situacionais. No mercado, tem valor porque é do PMI e o PMI tem reconhecimento na comunidade de gerenciamento de projetos. O exame é monitorado e você precisa fazer em um centro autorizado. As más línguas dizem que é uma tentativa do PMI de não ficar de fora do crescimento do ágil no gerenciamento de projetos. Com certeza é a prova mais difícil de todas as citadas.

SCRUMStudy

Acusada de se apropriar do Scrum original, de Schwaber e Sutherland, a SCRUMStudy reuniu práticas em gerenciamento ágil de projetos e metodologias ágeis – de forma similar ao PMI e a EXIN, sobre a qual falarei no fim do artigo – e lançou um Scrum que é menos framework e mais metodologia. Se eles podiam ter feito isso ou não é um assunto polêmico, porque Scrum foi criado a partir de um artigo científico, não é um nome ou uma ideia 100% original do Schwaber e do Sutherland, então é tudo muito discutível. Por lacunas na propriedade intelectual do Scrum, a SCRUMStudy se estabeleceu e dita suas próprias práticas e coletâneas de práticas para o framework. De certa forma, é uma resposta a aplicação desordenada do Scrum como framework de projetos, quando ele é na verdade uma metodologia para o gerenciamento de projetos complexos – mas isso é polêmico pra caramba, então se cair na sua prova uma questão perguntando se Scrum é framework ou metodologia, marque “framework”.

Nós do Site Campus gostamos da abordagem da SCRUMStudy porque somos profissionais de projetos, não somos especialistas em produtos ou em software. Contudo, acreditamos que teria sido fácil resolver esta polêmica se a SCRUMStudy tivesse optado por um outro nome ao invés do Scrum para seu trabalho. Ainda assim, sua aplicação em projetos a partir da base do Scrum é interessante e vale a pena ser estudada. Se mudassem de Scrum para SCRUMX estaria resolvido o caso.

EXIN & Suas Certificações

Exin é uma empresa holandesa que vende e revende certificações próprias e de terceiros. Não há polêmica quanto ao seu trabalho, visto que aplica a mesma lógica do PMI em suas certificações: coletâneas de padrões e metodologias ágeis de trabalho. Sua certificação mais conhecida no meio é a ASF, Agile Scrum Foundations. É interessante e provavelmente polêmico, embora ainda pouco explorado, o fato de eles se referirem ao Scrum como Agile Scrum. Será que veremos ataques e brigas em função deste detalhe? Só Deus sabe!

Qual certificação você deve tirar?

Esta é a pergunta de 1 milhão de dólares, certo? Não temos resposta para você. As polêmicas estão ai, contudo, você precisa se entender como um profissional e como profissional precisa atender uma demanda. Quem vai dizer qual certificação você deve tirar é o mercado, são seus pares, seus parceiros.

O Site Campus não pode responder esta pergunta por você. Contudo, podemos explorar o lado bom de todas as empresas citadas. Em nosso planejamento para 2016, consideramos lançar cursos de formação para todas as certificações citadas. Vamos agora falar dos aspectos positivos de cada empresa/órgão/certificações:

Scrum Alliance

A visão da organização é de que treinamentos presenciais são fundamentais. Uma prova é só uma prova. Você precisa treinar com eles e seus representantes para poder se certificar, assim eles podem garantir que você sabe o que é Scrum. Isso é positivo, certo?

Scrum ORG

Sua prova é mais complexa e voltada para o Scrum, além de ser acessível financeiramente e valorizada por equipes de desenvolvimento. Pode ser feita online sem pré-requisitos.

PMI

Requer experiência comprovada e treinamento com algum fornecedor que siga critérios específicos neste treinamento. É uma prova mais complexa e mais valorizada no mercado de gerenciamento de projetos. É uma Mercedes Benz construída para um mercado que ainda está sendo pavimentado.

SCRUMStudy

Sua abordagem é para projetos, não só para produtos. Suas certificações são o meio termo entre a simplicidade das certificações básicas e a complexidade do PMI e do gerenciamento de projetos. Acreditamos que seja um meio termo interessante, mas o mercado ainda não disse se vai absorver ou não a visão da SCRUMStudy.

EXIN

A Exin oferece duas certificações em Agile Scrum, como eles chamam a prova deles, e podemos ver que tem um bom apoio da comunidade profissional – inclusive um dos livros que tiveram maior difusão no nosso mercado sustenta esta certificação, uma publicação do Fábio Cruz sobre Scrum e ágil. Pensando bem, este “Agile Scrum” não deixa de ser parecido com a abordagem da SCRUMStudy. Mas isso vamos explorar em artigos futuro! A gente gosta da EXIN e trabalha com ela aqui no Site Campus 🙂

E aí, qual vai ser sua certificação?

Deixe seus comentários!

Tags: , , , , , , , ,

  • Alexandre De Oliveira Pereira

    Muito interessante Aranha.
    Fiz o seu curso “Scrum 100 Lero Lero” e estou fazendo o “Preparatório para o SFC”. Estou aprendendo bastante e, a cada dia, tenho mais clareza para os próximos passos nesse ramo.
    Obrigado

  • Frederico Aranha

    Oi Alexandre, que legal! Fico feliz em ajudar! 🙂

  • Vitor Luiz Massari

    Oi Frederico, tudo bem?

    Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo artigo e agradecê-lo pela gentil menção ao meu nome e aos meus artigos!

    Gostaria de compartilhar um episódio referente à certificação EXIN. Recentemente tive um questionamento no LinkedIn: “Mas todo o Scrum Master não é Agile?”. Não necessariamente em minha opinião, pois algumas certificações “baratas” formam Scrum Masters certificados, mas não contribuem em nada na formação de mindsets Agile. Um Scrum Master sem um mindset Agile, é uma pessoa que trabalha de uma forma que talvez não seja a ideal, mas com uma “grife” de certificação Scrum por trás.

    No mais parabéns por compartilhar suas percepções com a comunidade através deste artigo e de outros trabalhos!

    Grande abraço,
    Vitor Massari

  • Frederico Aranha

    Oi Vitor, tudo bem?

    Teu trabalho é ótimo e digno de ser compartilhado. O mindset só pode ser apresentado a partir de treinamentos e oficinas por professores capacitados e consolidado com a prática profissional. Assim como existem PMPs que não tem experiência nem sabem colocar em prática a teoria, mas sabem responder questões de prova, vão sempre existir profissionais com certificações em Scrum sem o mindset – independente da certificação.

    No fim das contas, o caldo é muito parecido em todos os syllabus de todas as certificações. Olhos despreparados lerão o Scrum Guide e terão dificuldades em entender porque ele é um framework e não uma metodologia – mesmo sendo certificado ou depois de um ótimo treinamento. Foi com base nessa reflexão que decidimos não defender bandeiras, mas preparar o aluno para todas as certificações – sempre garantindo que o aluno saiba onde está pisando e ciente dos prós e dos contras de cada órgão ou empresa. Nos próximos 2 anos devemos ter alcançado nosso objetivo.

    Abraços e obrigado por prestigiar nosso website,

    FA

  • Ademir Rezende

    Ola Frederico!
    Acompanho e admiro muito seu trabalho e cursos, os quais já fiz alguns que me ajudam muito pessoal e profissionalmente.

    Creio que certificação é um requisito de mercado, não dá para ir contra e claro que algumas certificações atestam melhor os conhecimento de uma pessoa que outras. Eu mesmo ainda não tenho certificação alguma [falta de recursos mesmo!!], mas penso que o essencial para o profissional de gerenciamento de projeto é entender qual será o produto final que o projeto entregará. Pouco adianta entender todos os processos de gerencia de projetos e nada entender sobre o produto que será entregue ao final do projeto, bem como qual será a contribuição desse produto para as pessoas e a empresa, considerando seu planejamento estratégico [Missão e visão], ou seja, o que produto do projeto agregará de valor ao plano estratégico da empresa? O produto do projeto reduzirá a distância a ser percorrida para alcançar a visão da empresa ou mesmo a realização da sua missão? Todas estas questões são relevantes em um projeto…E para ser ágil é imprescindível entender esta questão e aplicar os conhecimento de gerenciamento de projeto de forma adequada, obtendo então uma velocidade de realização melhor. Em tempo é bom ressaltar que ser ágil, não significa ser mais rápido, mas adaptar-se mais e melhor às condições e contexto do projeto que mudam de acordo com a evolução dos trabalhos, do ambiente e do mercado…

  • Frederico Aranha

    Oi Ademir, tudo bem?

    Embora seja importante ser certificado, tudo vai depender da empresa onde você quer trabalhar e do seu desejo pessoal em buscar conhecimento. Algumas empresas não entendem a certificação como requisito obrigatório, enquanto outras entendem.

    Acima de tudo, experiência prática combinada com estudo dirigido para área onde atuamos é que sim, deve ser obrigatório para todo o profissional. Precisamos estudar, fazer cursos e nos aprimorarmos – com ou sem certificação.

    Sobre a aplicação da metodologia, framework ou guia de conhecimentos, concordo com você. É preciso selecionar aquele mais adequado para o projeto em pauta!

    Um abraço e sucesso na sua busca pelo conhecimento,

    FA

  • Thiago Lopes

    Boa tarde. O link do Paper está incorreto. Aguardo.

  • Frederico Aranha

    Fala Thiago, tudo bem? Realmente tava quebrado o link! Adicionei um paper legal ali, confere! Abraços