Conheça o processo Estimar as Tarefas - SBOK SCRUMstudy

Conheça o Processo Estimar as Tarefas no Gerenciamento Ágil de Projetos

Conheça o Processo Estimar as Tarefas no Gerenciamento Ágil de Projetos

Neste artigo, apresentaremos o processo Estimar as Tarefas, da fase Planejar e Estimar do Scrum de acordo com o Scrum Body of Knowledge, da SCRUMstudy. A fase Planejar e Estimar é composta por 5 processos. Além da fase Planejar e Estimar, existem ainda outras 4 fases: Iniciar, Implementar, Revisão e Retrospectiva e Release.

Propósito do Processo Estimar as Tarefas

No SBOK, somos apresentados ao planejamento da Sprint, ou do ciclo curto de desenvolvimento de produtos proposto pelo Scrum, em dois momentos: a etapa de criação de tarefas e a etapa de estimativa das tarefas. Além disso, o SBOK exclui desta reunião a criação e estimativa de histórias de usuário, deixando esta atividade em ainda outro processo.
Promoção de Julho Site Campus
Na prática, é possível criar e estimar tarefas em um único momento. Se você trabalhar em uma Sprint curta, de 1 semana, pode fazer a criação e a estimativa sempre juntas. Em Sprints maiores, então é possível aplicar a criação das tarefas e sua respectiva estimativa em momentos distintos. No Scrum tradicional vamos ver esta criação sendo dividida no que se convencionou chamar em “SP#1” e “SP#2”, ou parte #1 e parte #2 – assim também fez a SCRUMstudy, com algumas pequenas diferenças como a limitação para tarefas neste processo, como já mencionado, deixando de fora épicos e histórias de usuário.

Verdade seja dita, não há limitação para o que se fazer quanto ao planejamento de uma Sprint senão o tempo: 8 horas para Sprints de 4 semanas. O que fazer neste tempo, de acordo com o Scrum tradicional (o original de Ken Schwaber e Jeff Sutherland) é uma decisão do Time Scrum. Contudo, a consolidação das práticas em gerenciamento ágil de projetos nos levou a esta divisão – o que não é uma obrigação. É deste tipo de consolidação que surgem muitas críticas a tentativa de padronização do Scrum, pois é como se houvesse uma regra para sua aplicação além daquelas apresentadas no Scrum Guide, o original. É esta a mesma razão pela qual a proposta da SCRUMstudy é criticada por certos grupos de agilistas. Já discorremos sobre o tema em diversos artigos em nosso blog.

 

Conheça o Processo Estimar as Tarefas no Gerenciamento Ágil de Projetos

Entradas

Time Central do Scrum*

Já descrito no artigo sobre o processo Desenvolver os Épicos, clique aqui para conferir.

Entrada obrigatória neste processo!

Lista de Tarefas*

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Entrada obrigatória neste processo!

Critérios de Aceitação das Histórias de Usuários

Já descrito no artigo sobre o processo Criar Histórias de Usuário, clique aqui para conferir.

Dependências

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Riscos Identificados

Já descrito no artigo sobre o processo Desenvolver os Épicos, clique aqui para conferir.

Recomendações do Scrum Guidance Body

Já descrito no artigo sobre o processo Criar a Visão do Projeto, clique aqui para conferir.

Ferramentas

Reuniões de Estimativas de Tarefas*

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Entrada obrigatória neste processo!

Critérios de Estimativas*

De acordo com o SBOK:

O objetivo principal da utilização de Critérios de Estimativa, é o de manter os tamanhos de estimativa relativos e minimizar a necessidade de re-estimação. Os Critérios de Estimativa podem ser expressos de várias maneiras, tendo com dois exemplos comuns, os pontos da história e o tempo ideal. Por exemplo, um tempo ideal descreve normalmente o número de horas em que um membro do Time Scrum trabalha, exclusivamente, no desenvolvimento de entregas do projeto, sem incluir qualquer tempo gasto em outras atividades ou trabalho que estejam fora do projeto. Os Critérios de Estimativa fazem com que o processo de estimar o esforço seja mais fácil para o Time Scrum e quando necessário, permitir-lhes avaliar e tratar as ineficiências.

Entrada obrigatória neste processo!

Planejamento Poker

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Fist of Five

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Outras Técnicas de Estimativas

Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir.

Saídas

Listas de Tarefas de Esforço Estimado*

De acordo com o SBOK:

A Lista de Tarefas de Esforço Estimado é uma lista de tarefas associada com as Histórias de Usuário comprometidas, incluídas em um Sprint. Normalmente a precisão das estimativas varia de acordo com as habilidades do time. O Esforço Estimado é expresso em termos dos critérios de estimativa acordados pelo time. A Lista de Tarefas de Esforço Estimado é usada pelo Time Scrum durante as Reuniões de Planejamento do Sprint para criar o Backlog do Sprint e o Gráfico Burndown do Sprint. Também é usado para determinar quando o time precisa reduzir o seu comprometimento com Histórias de Usuário, ou quando pode assumir Histórias de Usuário adicionais durante o Planejamento do Sprint.

Lista de Tarefas Atualizada

Já falamos da lista de tarefas em artigos anteriores (Já descrito no artigo sobre o processo Criar as Tarefas, clique aqui para conferir). O esforço durante a estimativa de tarefas é o de atualizar a lista de tarefas com as estimativas realizadas. A estimativa pode ser feita na criação das tarefas ou em um momento posterior, como sugere o SBOK – que dividiu a construção das tarefas e a estimativa das tarefas em dois processo. Contudo, a decisão sobre como aplicar os processos é do Dono do Produto e varia de acordo com a complexidade de cada projeto.

Deixe seus comentários!


#
Compartilhe!
Fale com o Site Campus

Tags: , , , ,