Descubra o Planning Poker - Site Campus: A Escola do Novo GP

Descubra o Planning Poker

Descubra o Planning Poker

Já ouviu falar do Planning Poker? Sabe como ele pode ajudar a estimar o trabalho no seu projeto? Confira neste artigo dicas de como utilizá-lo!

No artigo anterior falamos sobre como se tornar um gerente de projetos home office. Agora vamos falar do Planning Poker, uma das principais técnicas usadas para estimar projetos ágeis.

Tanto em projetos ágeis como tradicionais sempre passamos pela mesma dificuldade: Como podemos estimar adequadamente o tempo de uma atividade ou estória? Devemos só dar um “chute”? Não, mas saiba que mesmo profissionais com bastante experiência tem dificuldades em estimar o trabalho, principalmente se for algo novo.

Primeiro você precisa ter em mente que estimar um trabalho não é perda de tempo. Você está investindo um tempo para entender e estimar melhor uma atividade para que possa economizar ou até mesmo lucrar com ela no futuro. Muitos acreditam que isso é desperdício, principalmente quando depois de muita análise ainda não conseguem definir as estimativas do projeto.

Planning Poker: Definição

Em resumo, é uma técnica ágil usada no Scrum para que a equipe do projeto possa estimar um conjunto de tarefas rapidamente. Com as user stories em mãos, cada um da equipe sinaliza quanto a estória representa pra si mesmo.

Para esta sinalização, você utiliza Story Points, representando um valor de grandeza daquela atividade. Não confunda com estimativas em horas! Muitos convertem os pontos em horas seguindo algum método próprio mas não é o ideal. A principal vantagem do Planning Poker é justamente fugir da obrigação de pensar em horas e sim na dificuldade da atividade.

Os modelos mais comuns de baralho possuem as seguintes cartas: 0, 1/2, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 20, 40 e 100. Em alguns casos você poderá ver uma carta ‘interrogação’, ‘café’ e ‘infinito’. Falaremos delas adiante.

Passo a passo do Planning Poker

  1. Um membro da equipe, com a estória em mãos, lê a mesma em voz alta.
  2. Todos discutem rapidamente qual é o critério de aceitação que foi definido pelo Product Owner e tiram todas as dúvidas.
  3. Todos os membros do grupo, com exceção do Scrum Master e Product Owner escolhem individualmente qual o valor do baralho vão usar, sem mostrar pra ninguém.
  4. Quando todos já tiverem decidido, mostram as cartas ao mesmo tempo.
  5. Caso os números não sejam iguais, quem votou diferente deve justificar, começando do valor mais alto até o valor mais baixo.
  6. Após a discussão, a equipe deve votar novamente.
  7. Isso deve ser feito até o grupo entrar em acordo. O Scrum Master pode ajudar definindo o número limite de sessões.

Veja que o número escolhido deve ser por grandeza ou dificuldade. Geralmente usamos a carta ‘0’ ou ‘½’ para dizer que a mesma é muito simples. Usamos a carta máxima, 100, para indicar que não temos a mínima ideia de como fazer aquilo.

Imagine que você escolheu o número 100 e seu parceiro de equipe o número 5. Ambos devem explicar a diferença. Provavelmente você nunca desenvolveu algo parecido e seu colega já. Com base na explicação dele, você pode diminuir sua nota, ou ele pode subir a dele com base na sua explicação.

Lembre-se: Se o processo travar, passar 3 ou 4 rodadas e não conseguirem chegar num acordo, não façam a média! Este é um erro bem comum. A escolha deve ser feita em grupo.
Só porque alguém acha que a tarefa é fácil, apontando 5, e o outro acha difícil, apontando 100, você deva escolher 40. O grupo pode entender que a maioria não conhece a ferramenta e optar por um valor mais alto, como 40, 20, ou até mesmo 100 ou confiar totalmente no membro da equipe que considera fácil e estimar 5.

Outro ponto importante: Ao longo do projeto novas estórias vão aparecer. Assim que surgirem já façam a rodada de Planning Poker. Priorizem e estimem as estórias conforme elas aparecem!

Mas porque não usar horas ao invés de story points?

O principal motivo é a diferença de conceito entre as pessoas. Quando falamos em Horas para atividade, devemos considerar as horas ideais, ou seja, as horas efetivamente trabalhadas no projeto. Durante 30 dias você pode ter por exemplo 15 dias ideais. Ou seja, quando você informar que uma atividade levará 30 dias (ideais) na verdade o tempo da atividade serão 60 dias corridos. Isso gera muita confusão principalmente entre departamentos que não trabalham com métodos ágeis ou com os gestores da empresa.

Usar Story Points você tira esse problema pois os pontos são relacionados à grandeza, dificuldade da atividade. Conforma a equipe fica mais madura, mais integrada, ela saberá sua velocidade por sprint, apontando o número de pontos que conseguem entregar em 30 dias. Desta forma você poderá informar para a gestão o tempo aproximado de desenvolvimento usando a velocidade de entrega do time ao invés de um determinado volume de horas.

Modelos de Baralho para Planning Poker

Na internet você poderá encontrar muitos modelos prontos. Para facilitar sua vida, clique aqui e baixe um modelo em PDF. Basta imprimir e começar a estimar seus projetos hoje mesmo.

Como usar as cartas: Zero (0), Interrogação(?), Café e Infinito

Carta Zero(0)

Quando uma user story for pequena demais, simples demais e a equipe não vê necessidade de prejudicar a capacidade de entrega da sprint, podemos usar a carta Zero. Imagine que uma user story se refere à mover um botão na tela do aplicativo para outro lugar na mesma tela. Este procedimento é necessário, foi levantado e precisa ser feito. Porém o tempo dele é de 10 minutos. O tempo é tão baixo que não vale a pena apontar um valor.

Carta Infinito

Exatamente o oposto da carta Zero. A estória é tão grande, tão complexa que nem a carta 100 atende. Colocar a carta Infinito na mesa indicará que você realmente precisa detalhar e quebrar a user story em user stories mais simples ou menores.

Carta Interrogação (?)

Você até entendeu a user story mas ainda tem dúvidas. Ao invés de chutar uma estimativa ou apontar que ela é muito complexa, basta usar a carta Interrogação para sinalizar à sua equipe que você tem dúvidas.

Carta Café

Hora do intervalo! Use a carta quando você precisar sinalizar que seu time precisa parar um pouco para descansar. O Scrum Master é responsável por definir o tempo de intervalo e, também, providenciar bebida e comida para o grupo.

Conclusões

A principal vantagem do Planning Poker é auxiliar seu time a não ficar trabalhando em estimativas durante muito tempo. Ela fornece resultados em um tempo bem curto e com um bom nível de precisão. Além disso, um dos principais benefícios é você gerar a discussão sobre as user stories, ganhando maior entendimento sobre o projeto de maneira geral, desta forma acelerando o desenvolvimento uma vez que todos na sua equipe sabem cada vez mais o que estão fazendo e onde devem chegar. Você também aumenta muito as chances de acertas as estimativas já que são criadas através do trabalho em equipe e não através da opinião de um membro mais experiente.

Assine a newsletter do prof. Frederico Aranha
#
Fale com o Site Campus

Tags:, , , ,