Gerenciamento de mudanças - Quando adotar?

Gerenciamento de mudanças – Quando adotar?

Gerenciamento de mudanças - Quando adotar?Mais que saber fazer um bom gerenciamento de projetos, você deve saber a hora de deixar o orgulho de lado e fazer um bom gerenciamento de mudanças.

Uma das maiores causas de dor de cabeça para os gestores de TI e negócios e a falta de controle sobre as mudanças realizadas nos itens de configuração que influenciam na qualidade dos serviços prestados pela área de TI. Nesse contexto, o processo de gerenciamento de mudanças tem como função garantir que as mudanças realizadas no ambiente de TI sejam devidamente controladas e documentadas.
Isso significa que todas as alterações realizadas no ambiente estão devidamente documentadas, avaliadas, testadas, priorizadas e aprovadas antes da sua implementação.

O processo se inicia com a identificação da necessidade de se alterar algum item de configuração no ambiente de TI, sendo formalizado através do documento de solicitação de mudanças (RFC – request for change). As mudanças podem ser planejadas ou não, mas em ambos os casos devem ser tradas pelo processo de gerenciamento de mudanças de maneira padronizada.

Black Week Site Campus

Existem três tipos de mudanças que podem ocorrer: mudança normal, mudança padrão e mudança emergencial sendo que cada uma delas deve ser tratada de maneira adequada.

Uma mudança normal é aquela que afeta qualquer item que tenha impacto nos serviços de TI como processos, arquitetura, infraestrutura, documentação, indicadores ou sistemas. Já uma mudança padrão é aquele tipo que apresenta baixo risco para o ambiente, sendo pré-aprovada e devendo seguir um conjunto de procedimentos padrão pré-estabelecidos, onde estão definidos os passos necessários para sua realização.

Mudanças emergenciais devem ser realizadas o mais rápido possível e em geral ocorrem por exemplo em resposta a algum evento de falha que tenha ocorrido e exija correção imediata para que os serviços afetados sejam restabelecidos.

Um dos principais elementos do gerenciamento de mudanças e o comitê de controle de mudanças (CABchange advisory board), que tem a função de avaliar e aprovar as solicitações de mudanças. O comitê é formado por profissionais das áreas de TI e negócios. As reuniões do comitê ocorrem periodicamente e o intervalo entre as elas depende da estratégia e das políticas da organização.
Resumidamente, as atividades envolvidas no processo de gerenciamento de mudanças são:

  1. Criar e registrar a solicitação de mudança (RFC)
  2. Revisar a solicitação, verificando a real necessidade e se é viável
  3. Avaliar os impactos da mudança, as áreas, processos e sistemas afetados.
  4. Aprovar e validar as mudanças no ambiente de testes.
  5. Aplicar as mudanças nos ambientes de produção.
  6. Revisar a mudança e os resultados após mudança
  7. Documentar a mudanças, atualizando o banco de dados de configurações.
  8. Encerrar a mudança.

A recomendação é que o gerenciamento de mudanças seja um dos primeiro processos a serem adotados em qualquer projeto ITIL pois os benefícios são claros e o retorno quase que imediato.
.

Clique aqui e veja uma aula sobre a Introdução ao ITIL do nosso curso preparatório para as certificações ITIL Foundations e ITIL Practicioner – faça esta aula gratuitamente e aprenda mais!


#
Compartilhe!
Fale com o Site Campus

Tags: , , , , ,