Sua equipe está pronta para Projetos Híbridos? - Site Campus

Sua equipe está pronta para Projetos Híbridos?

Sua equipe está pronta para Projetos Híbridos?

Você quer melhorar sua gestão de projetos mas não sabe se sua equipe está preparada para isso? Confira neste artigo dicas de como preparar sua equipe para este novo estilo de gestão!

No artigo anterior falamos sobre como registrar a abertura do projeto em documentos utilizando métodos ágeis e tradicionais. Alguns chamam isso de Modelo Híbrido. Mas será que sua equipe está mesmo pronta para este tipo de projeto?

É importante você descobrir isso, pois no início do projeto temos que definir quais serão as regras, técnicas, métodos e práticas que vamos usar. Então não podemos definir algo que nossa equipe não conheça.

A maior dificuldade ocorre quando sua equipe tenta trabalhar com 2 modelos de gestão, pois cada pessoa tem sua preferência.

Já sabemos que no PMBOK 6ª Edição temos um capítulo inteiro sobre métodos ágeis e também revisão de vários capítulos para que considerem os métodos ágeis existentes.

Mesmo assim as pessoas continuarão a ter opiniões diferentes. Um profissional pode se sentir melhor trabalhando com modelos tradicionais e outros com modelos ágeis. Esta preferência certamente afetará a produtividade e motivação dele.

Qualquer pessoa irá demorar para se adaptar à uma mudança de modelo de gestão, mesmo que eles busquem o mesmo objetivo: entregar valor e atingir o sucesso do projeto.

É o mesmo que ocorre quando trocamos um membro de uma equipe ágil e integrada que usa SCRUM: A velocidade do time irá variar até estabilizar novamente.

Em projetos que usam modelos híbridos a dificuldade é bem maior, pois cada participante não estará simplesmente saindo de um projeto para outro, trocando de modelo de gestão ou de gestores mas sim trabalhando com dois ou mais métodos em um mesmo projeto!

Já pensou então se um membro de sua equipe precisar trabalhar em um método ou artefato que ele não conhece (ou não gosta?)

Como preparar sua equipe para projetos híbridos

Errado e Fácil

Você pode não se preocupar com a transição. Basta definir no início quem irá atuar com o que dentro do projeto, ou seja, uma parte da equipe fica com ágil e outra com waterfall. Isso parece uma solução boa, assim cada membro poderá focar em um modelo de preferência. Não funciona!

Pense no cenário onde 50% da sua equipe conhece ágil e 50% não conhece. Porém pelas características do seu projeto, você precisará de uma equipe 70/30.  No fim você terá uma queda de produtividade uma vez que membros que não conhecem um modelo terão que trabalhar com a outra equipe e certamente ocorrerão conflitos.

Errado e Prático

Sua empresa poderia criar a própria metodologia híbrida, unindo os conceitos em uma cartilha, entregar a todos os membros e dizer que a partir de tal dia todos devem seguir este procedimento. Errou de novo!

Qualquer ação em que você obrigue sua equipe a agir de alguma maneira, sempre criará uma situação em que todos sairão perdendo. Você também se verá obrigado a usar uma metodologia única em qualquer projeto, sem chances de adaptações. Você também não resolverá o principal problema: Alguns membros da sua equipe ainda vão trabalhar com algo que não gostam.

E por último: Você precisará atualizar e entender uma metodologia única e exclusiva da sua empresa.

Entenda que métodos ágeis ou tradicionais buscam o mesmo: Sucesso do projeto. Então a escolha deve ser de acordo com o projeto! Não podemos usar uma prática ou outra apenas porque um gestor ou diretor acha ela melhor.

Funciona mas é Difícil

Não inicie um projeto já com modelos híbridos. Comece o projeto da forma como já trabalha. Quando chegar na etapa de criar atividades e pacotes, insira algumas onde precisará usar um método diferente do que usou ao abrir o projeto. Começou com tradicional? Crie uma atividade em que precisará de ágil.

O complicador é que você precisará ter membros no seu grupo que precisarão saber trabalhar com dois modelos diferentes. Pra ajudar nisso temos algumas dicas:

Seja claro: Sua equipe precisa entender porque está usando um modelo ou outro. Sempre explique os motivos das suas decisões em relação à forma de gestão. Não se esqueça também de definir claramente como os modelos irão interagir entre si, pois lembre-se que durante o projeto existirá transferência de informações entre uma atividade e outra, entre uma equipe e outra, que estarão usando métodos diferentes.

Autonomia: Para aqueles que estão acostumados com métodos ágeis e precisará que eles atuem com modelos tradicionais, tente flexibilizar o controle das atividades ao longo do projeto, assim você aumentará a motivação deles para focarem no que interessa: Entregar valor do projeto. O modelo convencional pode ser útil em diversos aspectos, principalmente no controle e burocracia mas lembre-se de facilitar a forma como este controle é feito.

Motivação: Entenda que sua equipe já trabalhava de uma maneira. Já estavam acostumados e você vem com um novo modelo de gestão. Isso irá gerar desconforto. Portanto você precisa acompanhar de perto e motivá-los. Ajude no entendimento da situação e tire todas as dúvidas. Não precisa fazer microgerenciamento pois o ideal é a equipe se organizar mas esteja pronto pra ajudá-los, principalmente nos novos conceitos que você trouxe na gestão do projeto. O ideal é que forneça metas menores e mais simples neste primeiro projeto híbrido. E porque não fazer um piloto de curta duração, de 3 ou 4 meses? Assim eles vão se habituar no método sem o medo de prejudicar projetos complexos.

Hoje os projetos exigem cada vez mais do gerente de projetos. Isso gera uma força para nós buscarmos novos métodos e melhores formas de gestão. Esta dificuldade aparece principalmente porque focamos muito NO QUE fazer e não em COMO fazer. Se aparecemos com uma mudança de gestão, nossa equipe tende a gastar mais tempo pois precisa primeiro entender novamente COMO fazer. Desta forma a gestão do projeto fica mais difícil no início.

Infelizmente não existe uma solução prática e simples. O impacto da gestão híbrida em nossos projetos já é uma tendência global e nossa equipe precisa estar preparada para isso. E o melhor que você pode fazer é começar justamente por quem executa o projeto de fato.

Assine a newsletter do prof. Frederico Aranha
#
Fale com o Site Campus

Tags:, , , ,