Gerente de Projetos - Escolha, integrar ou morrer?

Gerente de Projetos – Escolha, integrar ou morrer?

Gerente de Projetos - Escolha, integrar ou morrer?Eu sei, o título está meio dramático. Mas a verdade é que não existe gerente de projetos que viva sem integração. Então é isso ou nada.

Na teoria você pode escolher quais processos vai utilizar em seu projeto, mas é no plano de gerenciamento de projetos onde você vai documentar suas escolhas.

Como você vai documentar estas escolhas em um plano de gerenciamento de projeto se você escolher não trabalhar com integração de projetos e seus processos? Pois é! Criar o plano de gerenciamento do projeto faz parte e é um processo de integração.
Carreiras Site Campus
.

Integrar ou Morrer

O primeiro processo é a criação do termo de abertura. Lembremos que o Gerente de Projetos pode participar do trabalho envolvendo o termo de abertura, mas ele não autoriza o projeto. Seria impossível um gerente de projetos autorizar seu próprio trabalho. A autorização do trabalho deve ser feita por alguém com autoridade sobre o Gerente de Projetos, geralmente um PMO ou outra pessoa dentro da organização que tenha condições de ser o patrocinador do projeto. No termo de abertura vamos encontrar premissas, restrições, o escopo preliminar e informações a respeito de partes interessadas. Com este termo de abertura podemos, nós os Gerentes de Projetos, começar a trabalhar.

E Depois?

Logo em seguida, tendo iniciado o projeto (sem contar a identificação das partes interessadas, que não é parte da integração), vamos ao planejamento. Mantendo o foco na integração, devemos elaborar nosso plano de gerenciamento de projetos. Este plano servirá para todos os planos auxiliares ao plano de gestão de projetos – escopo, custos e etc. Neste mesmo plano, como já mencionei no primeiro parágrafo, vamos documentar os processos envolvidos no nosso projeto e como iremos fazer a gestão do projeto como um todo. Como os processos irão conversar?

Gerente de Projetos

Indo adiante no ciclo de vida, precisamos executar o trabalho e entregar o que foi planejado. É bem simples, não tem mistério… ou será que tem? Você vai executar o plano e aqui, nesta etapa, vamos encontrar também grande parte dos processos de gestão de recursos humanos e também as comunicações. Maior parte do dinheiro do projeto e do tempo será investida aqui. É só por meio da integração que podemos gestar o projeto, por meio da integração e do gerente de projetos. Posso ter um especialista em cronogramas me ajudando a gerir o projeto na parte do tempo, mas não posso de forma alguma delegar a gestão do projeto como um todo. Não posso abrir mão do meu papel de gestor de projetos!

Então iniciamos o projeto com o termo de abertura, fizemos o planejamento por meio do processo de criação do plano de gerenciamento da integração e estamos executando o planejado por meio do processo de orientar e gerenciar o trabalho do projeto. Tudo certo, mas ainda precisamos monitorar e controlar o trabalho do projeto e realizar o controle integrado de mudanças. Se durante o monitoramento encontramos alguma mudança necessária, é no controle integrado de mudanças que ela será administrada para voltar ao processo de orientação e gerenciamento do trabalho do projeto. É a tríade sagrada da gestão de integração.

Encerrando

Tendo criado aquela entrega esperada, vamos ao encerramento. Fazemos a transição da entrega para o cliente ou partes interessadas, atualizamos os ativos organizacionais e documentamos as lições aprendidas. Pronto! Podemos começar uma nova fase ou encerrar o projeto de facto!


#
Compartilhe!
Fale com o Site Campus!

Tags: , , , ,