Gerente de Projetos: não tenha medo de ser um! - Site Campus

Gerente de Projetos – Não tenha medo de ser um!

Confie no seu trabalho e acredite no que você faz: o mercado precisa de você mais do que você imagina!

Por que discutir a posição de Gerente de Projetos? Há alguns dias, recebi em e-mail que me deixou preocupado. Um aluno me disse que se sentia inseguro no mercado de TI porque não era desenvolvedor, mas sim Analista de Processos. Não acho que este seja o caso com todos os profissionais que trabalham com gerenciamento de serviços e projetos, até porque cada um tem e teve suas próprias experiências no mercado de trabalho. Contudo, existem alguns profissionais – como o que me contatou pedindo direcionamento – que se sentem inseguros por não trabalharem diretamente na construção de produtos e novas soluções tecnológicas como desenvolvedores de software.

Esta perspectiva, de trabalhar diretamente na construção de soluções, é questionável: será que pelo fato de o gerente de projetos ou de serviço não desenvolver softwares (com as próprias mãos) ele não agrega valor? Esta pergunta é fácil de responder… Claro que agrega! Em grupos grandes, o gerente de projetos é fundamental na organização do trabalho e no gerenciamento das atividades.

Cuidado para não generalizar e acabar achando que o gerente de projetos serve para todas as organizações

Sabe qual o problema? Quando estamos trabalhando em uma garagem, não tem muito o que fazer em termos gerenciais: é listar atividades e executar. Não existe espaço para o gerenciamento de profissional de projetos. Em negócios pequenos, com pouco staff, a figura do gerente de projetos realmente não vai agregar muito valor. Neste tipo de ambiente um desenvolvedor vai se sobressair.

Lembrando do início da minha carreira, quando éramos apenas 2 amigos trabalhando em uma garagem – eu e meu então sócio Bruno Krebs – , não tinha mesmo espaço para um “gestor”. Naquela época, eu era o webdesigner e ele o desenvolvedor. Logo depois, criei minha segunda empresa e já estava trabalhando e estudando gerenciamento de projetos. Foi difícil para mim entender que, mesmo querendo, eu ainda era mais webdesigner do que era administrador ou gerente de projetos. A empresa, naquele momento, precisava mais de mim construindo as entregas do que eu como gestor.

Todo gerente de projetos precisa de um time para gerir, senão ele tem a famosa “EUquipe”

No fundo, o gerente precisa de time para gerir. Se a empresa não é grande o suficiente, um bom líder técnico dá conta do trabalho. Desta visão miópica é que surge a promoção do desenvolvedor que se sobressai como técnico a cargos gerenciais. Também conhecido como efeito “halo”, acreditar que só porque alguém é bom desenvolvedor será um bom gerente pode ser um grande tiro no pé. Outra coisa que vai fazer diferença na valorização do gerente de projetos é a cultura organizacional: não espere ser valorizado se a empresa tem um perfil super técnico e o fundador não dá muita bola para o PMI ou o PMBoK, por exemplo. Neste cenário, você terá que mostrar seu valor por meio de resultados.

Sinta-se seguro: sua profissão é essencial. Não existe organização que progrida sem gerenciamento de projetos profissional, gerenciamento operacional, análise de qualidade e processos. Trabalhei em uma empresa gigantesca que não tinha um quadro diretivo capacitado em gestão e governança e os resultados estavam começando a se tornar catastróficos. Não adianta querer tirar água de pedra: cada profissional tem seu valor e seu lugar no mercado.

Deixe seu feedback na nossa página!

Assine a newsletter do prof. Frederico Aranha
#
Fale com o Site Campus

Tags: , , , ,