Os Diferentes Tipos de Inteligência - Site Campus

Os Diferentes Tipos de Inteligência e Porque Estudar é Apenas Uma Parte do Jogo

Os Diferentes Tipos de Inteligência e Porque Estudar é Apenas Uma Parte do Jogo

Nossa mente pode ser testada e medida de diversas formas. Provas, por exemplo, medem nosso QI ou nossa habilidade de raciocínio lógico.
Mas é importante salientar que diferentes pessoas tem diferentes tipos de inteligência.
Ou você acha que aquele músico talentoso desenvolve exatamente o mesmo tipo de inteligência que você?

Cada um de nós cresceu sendo educado para tirar as melhores notas na escola.

Basicamente, precisávamos estudar (ou decorar) algum capítulo do livro ou o conteúdo de uma aula específica para conseguir responder as perguntas da prova e tirar a melhor nota.

Se tirou uma nota boa, é um ótimo aluno. Se não tirou, mal aluno.

Em resumo, desde muito cedo nosso QI começou a ser medido e “educado” para ser cada vez maior, e nós a sermos mais comprometidos com os acertos e erros que o sistema educacional nos exige.

Consegue enxergar algum problema em falar sobre inteligência com esse pensamento?

Aprendemos que nossa inteligência só é compreendida quando estudada e avaliada pelo nosso raciocínio lógico e nossas habilidades matemáticas em provas escolares.

Mas quanto da inteligência humana estamos deixando passar ao pensar desta forma?

Nosso sucesso, tanto pessoal quanto profissional, passa por muitas outras maneiras de pensar e medir inteligência.

Para colocar isso de forma mais clara para você e que fique mais simples de entender, lembre das diferentes habilidades que você desenvolve ao longo de sua vida e não é capaz de representar com apenas uma prova.

Pode ser uma habilidade manual, quem sabe cantar, dançar ou tocar um instrumento. Tanto faz.

O psicólogo e pesquisador Howard Gardner, de Harvard, propõe para nós essa visão mais pluralista da inteligência e as diferentes capacidades que podemos ter. Em seu livro “Estruturas da Mente”, de 1983, ele descreve sete dimensões da inteligência. Após alguns anos, o mesmo Gardner atualizou para nove tipos diferentes de inteligências.

Essa teoria tornou-se conhecida como teoria das inteligências múltiplas.

  • Inteligência Verbal ou Linguística: Habilidade para trabalhar criativamente com as palavras e aprender mais facilmente os diferentes idiomas;
  • Inteligência Lógico ou Matemática: Capacidade para solucionar problemas envolvendo números e demais elementos matemáticos, com grandes habilidades para raciocínio dedutivo e lógico;
  • Inteligência Cinestésica Corporal: Capacidade de usar o próprio corpo de maneiras diferentes e hábeis;
  • Inteligência Espacial: Grande noção de espaço e direção em diferentes ambientes e localidades;
  • Inteligência Musical: Capacidade de organizar sons de maneira criativa e ter uma forma de ouvir e entender notas musicais;
  • Inteligência Interpessoal: Habilidade de compreender os outros tendo empatia na maneira de como aceitar e conviver com o outro;
  • Inteligência Intrapessoal: Capacidade de relacionamento consigo mesmo, e autoconhecimento. É a habilidade de administrar a autoestima a favor de seus projetos;
  • Inteligência Naturalista: Compreensão da natureza e dos seres vivos presentes nela;
  • Inteligência Existencial: Reflete sobre questões da vida e da morte, tem a ver ainda com a capacidade de se conectar com algum ser superior.

Para lidar com as mais diversas atividades do dia a dia em nossa rotina pessoal ou profissional, precisamos treinar nosso cérebro da melhor maneira possível. Esse preparo torna nossa mente capaz de ajustar nossa forma de pensar sobre cada uma dessas situações diárias.

A capacidade emocional talvez seja a principal forma que temos para amadurecer nossa inteligência e trabalhar com os grandes desafios ao longo da vida.

Se começarmos a olhar por essa ótica, podemos deixar de pensar apenas nas provas da escola para medir nossa inteligência, concorda?

Por isso, nem sempre adianta ler todos os livros da biblioteca e ser tão aplicado assim nos estudos, se você não é capaz de juntar todo esse conhecimento em sua mente e aplicar na prática do dia a dia essas habilidades.

Diariamente podemos ver isso acontecer. Os melhores da turma da escola não conseguem trazer todo aquele conhecimento para outras áreas da vida.

Às vezes, pessoas muito inteligentes não são capazes de lidar com pessoas, por exemplo, e isso está diretamente ligado a essa diferença de inteligências que nosso cérebro tem. Um exemplo clássico disso são pessoas que não tem um foco do que querem e onde querem chegar, e saem por aí aprendendo de tudo um pouco sem uma rota ou um traço na vida de como atingir seus objetivos.

Os Diferentes Tipos de Inteligência e Porque Estudar é Apenas Uma Parte do Jogo

Os 9 Tipos de Inteligência

 

Se você pôde concluir esse texto com uma mensagem de motivação para fazer as coisas de uma maneira diferente, saiba que estudar é fundamental para tudo que você deseja. Mas também saiba que isso não é tudo.

Treinar é o que levará você ao sucesso que tanto deseja!

Mas não fique só nisso, busque o risco e o desafio que a vida pode te dar sem medo do erro.

Você vai errar ao tentar ir além, mas não tenha receio disso. Acredite no seu potencial para ir cada vez mais longe e buscar realizações que ainda nem sonhou, unindo seu conhecimento e colocando em prática toda essa inteligência que já adquiriu.


Na última semana eu escrevi um texto bem interessante chamado “Planejamento de Vida: Construindo e Planejando Seu Futuro”, caso tenha interesse em ler esse artigo na íntegra, clique aqui.

Na próxima semana iremos falar sobre os grandes desafios que as novas gerações terão para assumir posições de liderança e vencerem suas dificuldades futuras.

Fique ligado, sucesso!


William Meller

Fundador do Portal Sucesso Jovem, profissional de TI e projetos e voluntário no PMI.

Carreiras Site Campus


#
Compartilhe!
Fale com o Site Campus!

Tags: , , , ,